terça-feira, 24 de agosto de 2010

TITITICA NA CABEÇA



Sei que muitos vão dizer que faz parte do jogo e que sempre foi assim, mas fiquei incrivelmente ofendido ao ver o programa do TIRIRICA no horário eleitoral.

Além de não ter plataforma de governo e nem o mínimo preparo para assumir um cargo político, o cara está claramente aí puramente baseado nos prováveis votos de “farra” que irá receber – nos mesmos moldes do Clodovil há alguns anos. Gente que vai votar nele porque acha ele engraçado e divertido, qualidades que além de discutíveis dado a baixíssima qualidade humorística do rapaz, não têm a menor importância na escolha de um representante do povo no governo.

Eu entendo o voto de protesto contra tudo que está aí, como foi o caso do Macaco Tião, que levou 400 mil votos na eleição para prefeito do Rio de Janeiro em 1988, ou o Rinoceronte Cacareco, “eleito” vereador em São Paulo em 1958, com 100 mil votos.

A diferença é que nem o Macaco Tião e nem o Rinoceronte Cacareco assumiram o cargo. Já o Tiririca, caso eleito, vai.

E aí a gente vai pagar salário para um palhaço – no sentido mais literal da palavra – que está aí puramente por ser nome conhecido pelas classes populares. Como diria o Boris Casoy, É UMA VERGONHA.

Por isso acredito que, enquanto o voto for obrigatório, os debates sobre propostas de governo e as revelações dos escândalos pela mídia – coisas que sempre considerei fundamentais numa democracia – perdem sua relevância e o que vale mesmo é puramente o carisma pessoal de cada candidato (ou, no caso da Dilma, o carisma do padrinho).

Mas o Tiririca tem aí a chance de dar uma enorme lição de moralidade e civismo ao povo brasileiro. Imaginem se ele chegasse, a uma semana da eleição, e no seu programa eleitoral dissesse:

"Gente. A uma semana das eleições, estou consolidado como um dos principais candidatos à vaga de deputado federal! Por isso, gostaria de falar a você que vai votar em mim - você tá BÊBADO? Eu sou um PALHAÇO e isso aí que você tem na sua mão é o seu VOTO. É com isso que você tem a chance de mudar este país. E você está jogando isso fora votando em alguém que você SABE que não tem a menor capacidade de exercer este cargo? Por quê?! Para um pouco e pensa no que você está fazendo. Enquanto a gente continuar tratando a política no Brasil como uma piada, ela vai sempre ser uma piada. Só que sem a menor graça. Estou renunciando à minha candidatura."

Já pensaram? Ia ser um choque de consciência na população, que seria obrigada a repensar seus conceitos quanto a seriedade de uma eleição federal.

Pois é. Mas não vai acontecer isso, né?

4 comentários:

Mark disse...

É mais ou menos como eu me candidatar, né?
Ou nem?

Vladimir "Charles" Brown disse...

Cara. Pela primeira vez, vc falou algo incrivelmente verdadeiro.

É EXATAMENTE como vc se candidatar.

alebf disse...

Diabo do meu ódio...

Malcolm disse...

Folha - Por que você decidiu se candidatar?

Tiririca - Eu recebi o convite há um ano. Conversei com minha mãe, ela me aconselhou a entrar porque daria pra ajudar as pessoas mais necessitadas. Eu tô entrando de cabeça.

De quem veio o convite?

Do PR.

Como foi?

Por eu ser um cara popular, eles acreditaram muito, como eu também acredito, que tá certo, eu vou ser eleito.

Sabe o que o PR propõe, como se situa na política?

Cara, com sinceridade, ainda não me liguei nisso aí, não. O meu foco é nessa coisa da candidatura, e de correr atrás. E caso vindo a ser eleito, aí a gente vai ver.

Quais são as suas principais propostas?

Como eu sou cara que vem de baixo, e graças a Deus consegui espaço, eu tô trabalhando pelos nordestinos, pelas crianças e pelos desfavorecidos.

Mas tem algum projeto concreto que você queira levar para a Câmara?

De cabeça, assim, não dá pra falar. Mas como tem uma equipe trabalhando por trás, a gente tem os projetos que tão elaborados, tá tudo beleza. Eu quero ajudar muito o lance dos nordestinos.

O que você poderia fazer pelos nordestinos?

Acabar com a discriminação, que é muito grande. Eu sei que o lance da constituição civil, lei trabalhista... A gente tem uma porrada de coisa que... de cabeça assim é complicado pra te falar. Mas tá tudo no papel, e tá beleza. Tenho certeza de que vai dar certo.

Quem financia a sua campanha?

Então... o partido entrou com essa ajuda aí... e eu achei legal.

Você tem ideia de quanto custa a campanha?

Cara, não tá sendo barata.

Mas você não tem ideia?

Não tenho ideia, não.

Na propaganda eleitoral você diz que não sabe o que faz um deputado. É verdade ou é piada?

Como é o Tiririca, é uma piada, né, cara? 'Também não sei, mas vote em mim que eu vou dizer'. Tipo assim. Eu fiz mais na piada, mais no coisa... porque é esse lance mesmo do Tiririca.

Mas o Francisco sabe o que faz um deputado?

Com certeza, bicho. Entrei nessa, estudei para esse lance, conversei muito com a minha mãe. Eu sei que elabora as leis e faz vários projetos acontecer, né?

O que você conhece sobre a atividade de deputado?

Pra te falar a verdade, não conheço nada. Mas tando lá vou passar a conhecer.

Até agora você não sabe nada sobre a Câmara?

Não, nada.

Quem são os seus assessores?

Nós estamos com, com, com.... a Daniele.... Daniela. Ela faz parte da assessoria, junto com.... Maionese, né? Carla... É uma equipe grande pra caramba.

Mas quem te assessora na parte legislativa?

É pessoal do Manieri.

Quem é o Manieri?

É... A, a, a.... a Dani é que pode te explicar direitinho. Ela que trabalha com ele. Pode te explicar o que é.

Por que seu slogan é 'pior que tá, não fica?

Eu acho que pior que tá, não vai ficar. Não tem condições. Vamos ver se, com os artistas entrando, vai dar uma mudança. Se Deus quiser, pra melhor.

Esse slogan é um deboche, uma piada?

Não. É a realidade. Pior do que tá não fica.

Você pretende se vestir de Tiririca na Câmara?

Não, de maneira alguma.

Quem é o seu espelho na política?

Pra te falar a verdade, não tenho. Respeito muito o Lula pelo que ele fez pelo nosso país. Ele pegou o país arrasado e melhorou pra caramba.

Fora ele...

Quem ele indicar, eu acredito muito. Vai continuar o trabalho que ele deixou aí.

Então você vota na Dilma.

Com certeza. A gente vai apoiar a Dilma. Ele tá apoiando e a gente vai nessa.

Não teme ser tratado com deboche?

Não, cara. Não temo nada disso. Tô entrando de cabeça, de coração. Tô querendo fazer alguma coisa. Mesmo porque eu sou bem resolvido na minha profissão. Tenho um contrato de quatro anos com a Record. Tenho minha vida feita, graças a Deus. Tem gente que não aceita, mas a rejeição é muito pouca.

Se for eleito, vai continuar na TV?

Com certeza, é o meu trabalho. Vou conciliar os dois empregos.

Em quem votou para deputado na última eleição?

Pra te falar a verdade, eu nunca votei. Sempre justifiquei meu voto.