quarta-feira, 30 de junho de 2010

ENCHENDO A CARA COM MAMÃE

O Aço da Véia, produzido pela minha mãe, teria sido a inspiração
para
o famoso episódio "Flaming Moe", dos Simpsons. Tanto, que o
ingrediente
original utilizado para fazer o drink no desenho era
um tal "GRANNY'S STEEL". Minha
mãe, porém, não quis vender
os direitos do mé para os estúdios Fox, por
achar que o licor
era uma "manifestação artística, e não comercial". Não restou

aos produtores outra alternativa senão mudar o ingrediente
no desenho para
xarope contra tosse. True story. Google it.


Do ponto de vista etílico, minha mãe teve duas contribuições para minha vida.

A primeira foi há cerca de 15 anos (acho), quando ela decidiu fazer um licor caseiro. A ideia partiu em decorrência de uma safra de laranjas muito azedas, impossíveis de comer ou de transformar em sucos “bebíveis”. Tendo em seu amplo acervo de livros culinários a receita para licor de frutas, ela logo incumbiu meu pai de comprar os ingredientes para realizar a alquimia culinária de transformar frutas azedas no mais doce licor.

Seguindo a receita à risca, algum tempo depois lá estava o licor, que minha mãe acomodou em garrafas vazias de Jack Daniel´s. Quando perguntamos o que ela tinha achado, ela confidenciou que considerou o licor um pouco forte demais. Experimentamos e o negócio praticamente evaporava na boca. Com a ajuda de seu isqueiro, meu irmão Uncle Bugz confirmou que o licor era além de tudo MUITO INFLAMÁVEL. Achamos estranho um livro de culinária dar a receita para um produto tão MADE IN ALCATRAZ e fomos averiguar a receita.

Aparentemente, minha mãe tinha seguido tudo à risca e usado o álcool de cereais conforme indicado. Porém, descobrimos depois que o álcool usado na produção de licores é de 40º GL e o que minha mãe havia usado era de 98º. Ou seja, ficou duas vezes mais alcoólico do que deveria.

Ela ameaçou jogar fora, mas tanto eu quanto meu irmão nos apoderamos das valiosas garrafas antes que ela pudesse fazer algo. Aliás, foi do meu irmão o nome que batizou este néctar dos infernos: AÇO DA VÉIA. Pena que já acabou e minha mãe se recusa a fazer uma nova leva...

Aí, este fim de semana, tive mais uma contribuição etílica da minha mãe. Tendo passado alguns dias na casa dos meus pais, entre um jogo da Copa e outro, decidi preparar uma caipirinha de tangerina. Vi na cozinha metade de uma mexerica (confesso que não sei a diferença entre mexerica e tangerina) e perguntei se tinha mais. Ela me informou que eu teria que ir pegar no pé. Vendo a preguiça estampada na minha cara, ela sugeriu que eu usasse a metade de tangerina e acrescentasse metade de um limão. Acatei a sugestão e o resultado ficou muito bom. Com certeza será uma receita a ser replicada em outras ocasiões. Bebe aê.

ESTRAÇALHANDO PESSOAS PARA ESPANTAR O TÉDIO

Assim como um dia é da caça e outro do caçador, este jogo
mostra - de maneira bem contundente - como alguns dias são
da pesca e não do pescador. Super educativo.


Outro dia arranjei um jogo pros molex meio que no impulso. Achei a temática interessante e o jogo poderia, em tese, ser divertido. O jogo em questão é o JAWS UNLEASHED – baseado no clássico do Steven Spielberg.

Sem ver a sinopse, imaginei que seria um jogo em primeira pessoa em que você é o policial Brody, tendo que juntar sua equipe e partir num pesqueiro atrás do grande tubarão branco. Mas não é assim o jogo – na verdade ele é muito mais RIDÍCULO e divertido do que isso, porque você É o tubarão. Francamente, a ideia de terem desenvolvido um jogo em que você é um PEIXE que tem que sair por aí achando formas de COMER GENTE me pareceu bizarra demais para não postar aqui.

Claro que ainda estou no começo do jogo, mas é muito surreal você passar por um TUTORIAL para entender a melhor maneira de chegar de surpresa nos banhistas e devorá-los da maneira mais violenta possível. Confesso que nunca me imaginei tendo aulas sobre o assunto.

De qualquer maneira, o jogo é visualmente envolvente e bastante violento, o que o torna inadequado para crianças, claro (não se preocupem, os molex não tem permissão pra jogar – não precisam me denunciar). Diversão garantida.

terça-feira, 29 de junho de 2010

COPA 2010 - 8as - PARAGUAI x JAPÃO - ESPANHA x PORTUGAL

CLIQUE AQUI PARA O MOMENTO BOOMSTICK DO DIA:
Portugal até que tentou, mas não consegui segurar o eficiente
ataque espanhol.
Embora o placar do jogo tenha sido apenas 1x0,
a Espanha massacrou a zaga
portuguesa e só não marcou mais
pelas belíssimas defesas do goleiro Eduardo.
Na foto,
Cristiano Ronaldo, todo dodói, ficando bravinho quando tentam

entrevistá-lo após o jogo.


E finalmente chegamos ao final das oitavas, com dois jogos fechando a rodada: Paraguai x Japão e Espanha x Portugal.

Confesso que não esperava muito do primeiro jogo, uma vez que os dois times só estavam lá por questões puramente circunstanciais. Mas como tínhamos uma situação em que todos os sul-americanos que haviam chegado às oitavas haviam avançado (menos o Chile, só porque jogava com outro time sul-americano), queria ver se a América do Sul teria 100% de aproveitamento das vagas. Além do mais, o jogo era histórico independente do resultado, uma vez que nem Japão e nem Paraguai haviam conseguido chegar a uma quarta de final numa Copa do Mundo. Então, pelo menos tínhamos elementos para tornar o jogo interessante.

O Paraguai é um time melhor que o Japão, que não é um time ruim. O jogo foi até certo ponto equilibrado. Ambos os times atacavam com cautela e dava-se a impressão de que a responsabilidade de levar a sua seleção pela primeira vez a uma quarta de final estava deixando os jogadores muito nervosos. Muita jogada de meio de campo, muitas bolas fora e algumas poucas defesas dos goleiros. O cenário de um 0x0 estava se desenhando e, de fato, quando o árbitro apitou o fim do jogo, nada havia mudado.

Na prorrogação, ainda tínhamos dois times excessivamente cautelosos, com algumas poucas – e não muito empolgantes – chances de gol. Nada mais justo que o jogo fosse para a primeira decisão por pênaltis desta Copa. E a justiça foi feita.

Nos pênaltis, manutenção do equilíbrio entre as equipes. Ao todo, 9 jogadores chutaram a gol, e apenas um errou – o Yuichi Komano. Este único erro foi o suficiente para que o Paraguai carimbasse seu passaporte até as quartas de final pela primeira vez em sua história.

O outro jogo, entre a campeã europeia e sua vizinha lusitana, foi muito menos equilibrado. De verdade, a Espanha deu um banho em Portugal, mas o resultado do jogo não demonstra isso pela incrível competência do goleiro Eduardo. O goleiro português fez milagres e parou uma Espanha inspirada e incrivelmente perigosa.

O time espanhol já começou atacando, com um toque de bola muito preciso e ameaçador. Os jogadores procuravam por brechas no sistema defensivo português, mas Portugal mantinha sua meta bem protegida em quase todas as situações. Nas poucas em que os zagueiros bobeavam, lá estava um atacante espanhol dando trabalho para Eduardo.

Assustado, o time português não teve alternativa senão ir pra cima. E quase abriu o marcador num chute do insuportável Cristiano Ronaldo, que Casillas tentou encaixar, mas soltou a bola na pequena área. O gol não saiu por capricho do destino. Animado, Portugal começou a atacar mais, mas sem furar a defesa espanhola.

Com isso, a Espanha se recompôs e começou a dar trabalho à zaga portuguesa de novo, com Eduardo tendo que mostrar muito serviço. Até que, água mole pedra dura, tanto bate até que fura, e Villa conseguiu enfiar a bola na meta portuguesa após um chute rebatido de Eduardo. Espanha 1x0.

O jogo não teria mais gols, mas teria mais ataque espanhol, mostrando que este time não foi campeão europeu à toa. Acho que pela primeira vez, a Espanha assusta e mostra que veio atrás da estrela na camisa de verdade. Se não amarelar como de costume, candidata séria ao título.

E, com isso, temos nossos 8 finalistas para a próxima fase da Copa. Os confrontos serão:

segunda-feira, 28 de junho de 2010

COPA 2010 - 8as - HOLANDA x ESLOVÁQUIA - BRASIL x CHILE

CLIQUE AQUI PARA O MOMENTO BOOMSTICK DO DIA:
os gols do Brasil serão repetidos ad nauseum na televisão, então nada
mais pertinente que usar este espaço para mostrar como joga o próximo
adversário da Seleção - a Holanda. O Robben (na foto) comeu a bola
nesta partida e deve dar trabalho para a defesa do Brasil no dia 3. Vejamos.


Mais um dia cercado de expectativa nesta Copa do Mundo: os jogos das oitavas para Holanda e Brasil. O time holandês pegava a Eslováquia – time este que havia eliminado a Itália – e o Brasil enfrentaria o Chile, segundo lugar no grupo da Espanha.

O futebol dos holandeses não chegou a empolgar, como foi o caso de Argentina e da Alemanha, mas o jogo teve belas jogadas, boas defesas dos dois goleiros e um Robben justificando a bela campanha do Bayern na Copa da UEFA. Tanto é que, se a Holanda pareceu um pouco sem criatividade em determinados momentos do jogo, foi só o Robben ir pra cima da marcação que, envolvido por zagueiros eslovacos, chutou para o gol e abriu o marcador. Holanda 1x0, um gol de quem entende do negócio.

Depois do gol, a Holanda se acomodou no jogo e ficou tocando bola sem objetividade, o que era arriscado dada, a qualidade técnica eslovaca. O time da antiga Tchecoslováquia atacava com perigo e os holandeses contra-atacavam da mesma forma, tornando o jogo altamente divertido. Ambos os goleiros foram muito exigidos e o eslovaco Jan Mucha chegou a fazer uma defesa quase espírita num chute a queima-roupa de Mathijsen COM A CARA. Ouch.

No segundo tempo, mais pressão eslovaca e, incluindo uma inacreditável chance desperdiçada por Vittek (graças ao bom goleiro Stekelenburg). Aí, em mais um contra-ataque, a Holanda matou o jogo num cruzamento de Kuyt, com a bola sobrando livre para Sneijder fazer Holanda 2x0.

O jogo só não terminou assim porque, nos descontos, Stekelenburg fez um pênalti para brecar um ataque eslovaco. Vittek agradeceu e cobrou. O atacante agora empata com o argentino Higuan na artilharia da competição, com 4 gols marcados (mas já está a caminho de casa).

Brasil x Chile foi um jogo bem melhor que a última partida brasileira, contra Portugal. O jogo parecia muito equilibrado no primeiro tempo, com tanto Brasil quanto Chile tentando quebrar o sistema defensivo do adversário. Mas, quando se joga contra seleções de peso como o Brasil, não é aconselhável desperdiçar chances de gol. O Chile desperdiçou e o resultado viria em uma sucessão de dois gols, no fim do primeiro tempo. O 1x0 veio num cruzamento na medida para uma oportunista cabeçada de Juan. O segundo gol viria minutos depois, com o Chile ainda tentando assimilar o primeiro, num rápido e mortal contra-ataque brasileiro que terminou nos pés de Luis Fabiano. Brasil 2x0 e um segundo tempo inteiro pela frente.

Com os jogadores voltando dos vestiários, o jogo continuou mais ou menos como tinha parado – com o Chile tentando ataques à meta de Júlio César, mas esquecendo-se da defesa. E aí veio a pá de cal nas pretensões chilenas num lindo gol de Robinho que, de acordo com o Galvão Bueno, agora iguala a marca de Pelé no quesito GOLS MARCADOS CONTRA O CHILE. Eu nem sabia que isso qualificava como estatística.

O Chile continuou sua pressão, mais por questão de honra, mas todo este esforço não surtiu efeito. Brasil x Holanda nas quartas de final. Mais uma vez, a Holanda vem forte para a Copa do Mundo e pega logo o Brasil pela frente. Vai ser imperdível e o vencedor deste confronto deve - pela lógica - chegar à final da Copa.

domingo, 27 de junho de 2010

COPA 2010 - 8as - ALEMANHA x INGLATERRA - ARGENTINA x MÉXICO

CLIQUE AQUI PARA O MOMENTO BOOMSTICK DO DIA:
a Alemanha venceu a Inglaterra nas oitavas com propriedade, mas teve
sua vitória maculada por um erro da arbitragem, que não validou um gol
legítimo inglês, que teria empatado a partida em 2x2. Vergonhoso.
E, infelizmente, mais vergonhoso ainda foi a FIFA ter suprimido o momento
do vídeo com o resumo da partida. De qualquer forma, o vídeo com o
quase-gol do Lampard está mais abaixo no post.


Então vamos lá. Segundo dia das oitavas, dois JOGAÇOS: Alemanha x Inglaterra e Argentina x México.

Confesso que sentei para assistir à primeira partida com o coração partido, dadas minhas origens britânicas, mas como bom e persistente torcedor da Alemanha que sou, respirei fundo e me preparei para o que eu achava que seria um jogão de bola.

Felizmente, minhas expectativas quanto ao jogo se concretizaram e tivemos um espetacular embate entre as duas seleções. A Alemanha voltou a exibir o futebol mostrado contra a Austrália e a Inglaterra jogou muito mais do que havia jogado contra a Argélia. Ambos os times foram pra cima e, dadas as características ofensivas do reformulado time alemão, isso significava possibilidades de contra-ataque.

Por isso, não chegou a ser surpresa quando a Alemanha abriu o placar aos 20 minutos, com um gol oportunista do bom e velho Klose, marcando seu 12º gol numa Copa do Mundo. Alemanha 1x0 e a Inglaterra tentando se achar em campo, mas jogando de forma dura e sem criatividade. A Alemanha continuou melhor em campo e, com um gol calculado e preciso do Podolski, ampliou para 2x0.

Aí tinha-se a impressão de que a Alemanha iria enfiar uma goleada na Inglaterra, mas os bravos bretões não se abalaram e vieram pra cima. E, numa cabeçada de Upson aos 37 do primeiro tempo, a insistência se justificou. 2x1.

Aí veio o lance polêmico do jogo - o gol inglês que foi anulado, numa falha terrível da arbitragem. Lampard, que fazia uma ótima partida, chutou de fora da área e a bola bateu na travessão, entrando no gol alemão e caprichosamente quicando para fora. Gol claríssimo da Inglaterra, mas... o juiz não deu. Olhem no vídeo abaixo como a bola entra no mínimo 30cm para dentro do gol.


A quem acompanha o blog há mais tempo, o episódio lembra este aqui, que também foi uma VERGONHA. De qualquer forma, foi mais ou menos uma retribuição ao erro da arbitragem na final da Copa de 1966, com aquela famosa bola do Hurst que bateu no travessão e NÃO ENTROU, mas que foi validado pelo juiz. Sinceramente, eu queria que o gol tivesse sido anotado. Acho horrível ganhar com uma “forcinha” do juiz e foi um chutaço do Lampard que MERECIA o gol. Mas, cabeça erguida porque tinha o segundo tempo pela frente para consertar os erros da arbitragem.

E o segundo tempo começou com a Inglaterra mais presente na área alemã, atacando e tentando furar o bloqueio da bem armada zaga tedesca. Com isso, claro, havia espaço para contra-ataques. E foi o que aconteceu.

Mais 2 gols de Müller e o sepultamento das chances britânicas nesta Copa do Mundo. Fiquei feliz pela vitória, claro... mas triste ao mesmo tempo. A Inglaterra devia ter ganho o jogo fácil contra a Argélia e evitado este confronto logo numa oitava de final. Enfim, não existe “se” e os fatos são os fatos. Alemanha nas quartas de novo (o time germânico nunca saiu antes das quartas de uma Copa do Mundo) e Inglaterra de volta pra casa.

Aí veio o jogo entre Argentina e México. Claro que, sabendo que deste jogo sairia o adversário da Alemanha na próxima fase, torci contra a Argentina (na verdade, teria torcido contra, mesmo se fosse Argentina x Mistão de Osasco, mas isso não vem ao caso agora).

O México começou melhor e conseguiu até uma bola na trave. Mas aos poucos a Argentina – que jogava com uma esquisita combinação de camisa branca e azul, calções em azul-real e meias idem – foi mostrando sua superioridade e controlando o jogo. Fato é que o sistema defensivo da Argentina é bem meia-boca. Mas fato é também que o México não soube se aproveitar desta deficiência. E, aí, o Messi lançou a bola para um impedido Tevez marcar Argentina 1x0.

Aí foi a vez do jogador mexicano Osorio “passar” a bola para o argentino Higuain, que agradeceu e ampliou a vantagem argentina, se isolando como artilheiro da competição, com 4 gols. Aí, num ataque da seleção argentina, o ex-corinthiano Carlitos Tevez surpreendentemente marcou um GOLAÇO de fora da área, acabandode vez com as pretensões mexicanas.


O México, que contava com Salcido e sua impressionante categoria e precisão nos chutes de longa distância, assustou a defesa argentina algumas vezes e até chegou a fazer um gol de honra, numa bomba de Hernandez. Mas com 20 minutos de jogo pela frente, virar o jogo era uma meta demasiadamente otimista. Acabou o jogo e a Argentina repetia o cenário de 4 anos atrás, ao ganhar do México nas oitavas e partir para um embate contra a Alemanha nas quartas. Será a 6ª partida entre as duas tradicionais equipes na história das Copas. E espero que a história se repita e a gente despache a Argentina de uma vez.

VAI PODOLSKI!

F1 2010 - GP DA EUROPA

Mark Webber protagonizou o único momento remotamente interessante
da prova ao tentar ultrapassar Kovalainen e decolar por cima do finlandês,
num dos acidentes mais espetaculares do ano.
Felizmente, o australiano nada sofreu.



A Fórmula-1 deveria ter a decência de fazer um recesso de um mês nos anos em que há Copa do Mundo. Por mais que eu ame a categoria máxima do automobilismo mundial, foi duro acordar pra assistir a uma corrida sabendo que depois teríamos Alemanha x Inglaterra e Argentina x México. Enfim, acordei e assisti.

De cara, um momento divertido e inusitado na classificação ontem. Os dois pilotos da Williams – Barichello e Hulkenberg – cravaram exatamente o mesmo tempo em suas voltas rápidas. A última vez que vi algo assim acontecer foi em 1997, em Jerez, quando TRÊS pilotos fizeram exatamente o mesmo tempo – Villeneuve (filho), Schumacher e Frentzen marcaram 1:21.072 e o grid de largada foi definido pela ordem de obtenção dos tempos. Para o GP de Valência deste ano (curiosamente no mesmo país em que ocorreu o outro incidente), como o Hulkenberg havia obtido o tempo antes do Barrica, ele largou na frente do brasileiro. É isso mesmo que vocês estão pensando: mesmo com EXATAMENTE O MESMO TEMPO, o Barrichello consegue largar atrás.

Voltando à corrida em si, ela foi um porre. Com a dupla da Red Bull largando na frente, a previsão era de um passeio da equipe austríaca. Mas o Webber largou pessimamente e caiu lá pra nono, enquanto o Vettel liderava um pelotão composto por McLarens e Ferraris.

Com o Vettel seguindo adiante e ninguém conseguindo chegar nele, coube ao Webber o papel de tornar esta corrida no mínimo interessante ao bater espetacularmente com a “Lotus” do Kovalainen. O australiano decolou e teve um acidente à la “joguinho de videogame”, causando momentos de tensão entre todo mundo que assistia à transmissão. Felizmente, o Webber nada sofreu e saiu andando no local do acidente.

A pavorosa batida causou a entrada do safety car e, com isso, um monte de gente aproveitou para entrar nos boxes e fazer suas trocas de pneus. Um monte de gente, mas não o Kobayashi, que de repente se via em 3º na prova, atrás de Vettel e Hamilton. Com a relargada, os dois líderes saíram abrindo vantagem para o bom piloto japonês da Sauber, que segurava o Button e se recusava a entrar nos boxes.

Francamente, a corrida se resumiu a isso. O Vettel na frente, com o Hamilton seguindo, e o Kobayashi – e o resto do pelotão – ficando cada vez mais para trás. Tanto que nem mesmo uma punição recebida pelo Hamilton fez diferença. O inglês teve que fazer um stop and go por ter ultrapassado o safety car quando este entrava na pista, mas voltou para a corrida ainda à frente do Kobayashi.

O japonês finalmente faria seu pit-stop mais pro fim da corrida, dando a terceira colocação para o sempre atento Jenson Button. E assim foi até a bandeirada final.

Corrida chata que teve ainda um detalhe bizarro: perto do final, ficamos sabendo que alguns carros estavam sob investigação por terem supostamente excedido “o tempo máximo de uma volta quando o carro de segurança está na pista”. Depois da corrida, informaram que 9 pilotos seriam punidos com um desconto de CINCO SEGUNDOS nos seus tempos por terem descumprido o regulamento. Ah tá. Acho que no fundo era só uma tática para que esta corrida não ficasse marcada como a mais monótona da temporada.

Ah. Outra coisa. Tinha dito num post anterior que achava que o sistema de pontuação instituído neste ano traria grandes injustiças. Pois bem, aqui vem a primeira. Com esta 4ª colocação, o piloto Rubens Barrichello ultrapassa Ayrton Senna e se torna o 4º maior pontuador da história da categoria, com 626 pontos. Engraçado pensar que, antes desta corrida, ambos estavam empatados com 614 pontos e, numa única prova, terminando em QUARTO, o Barrica conseguiu tirar DOZE PONTOS (o antigo equivalente a uma vitória + um 5º lugar). E aí? Justo ou não?

sábado, 26 de junho de 2010

COPA 2010 - 8as - URUGUAI x COREIA DO NORTE - EUA x GANA

CLIQUE AQUI PARA O MOMENTO BOOMSTICK DO DIA:
difícil escolher um único jogo num momento tão decisivo, mas vale
o golaço do Suarez que levou o Uruguai à sua primeira participação
nas quartas de final desde 1970. No vídeo, o resumo da partida.


Primeiro dia das oitavas de final e hora do tudo ou nada – quem perde está fora.

O jogo que abriu esta segunda fase da Copa do Mundo foi Uruguai x Coreia do Sul. A equipe, comandada pelo pitoresco “EL LOCO” Bielsa, buscava a primeira vaga nas quartas de final desde 1970 e foi pra cima da Coreia logo de cara. Com um time ofensivo, o Uruguai chegou ao gol logo aos 8 minutos de jogo, com Suarez se aproveitando de uma falha do goleiro Jung.

Mas se o 1x0 logo de cara dava a impressão que o Uruguai tinha o domínio do jogo, isso não refletiu a realidade do jogo. Ambas as equipes foram pra cima, criando boas oportunidades de gol e causando muitos “UUHHH” dos torcedores. Durante um tempo, parecia que o Uruguai havia desistido do jogo e se retraído, e os Coreanos aproveitaram a chance para atacar sem dó a meta celeste.

No segundo tempo, sem novidades e o Uruguai escondido atrás enquanto a equipe asiática vinha na velocidade, até que, numa bola levantada na área uruguaia, Lee Chung Yong finalmente conseguiu marcar um gol no Uruguai, algo que ainda não havia acontecido nesta Copa do Mundo. Com 1x1 e a Coreia mais forte, tinha-se a impressão de que era só uma questão de tempo até que os asiáticos definissem a partida, mas... numa cobrança de escanteio uruguaia, Suarez (ele de novo) se livrou dos zagueiros coreanos e fez um belíssimo gol, sem chances para Jung. A Coreia tentou revidar, mas não teve como. Uruguai nas quartas de final.

O outro jogo do dia – EUA x Gana – foi emocionante também. Assim como no jogo anterior, o placar foi aberto logo no começo. Gana fez 1x0 com um contra-ataque fulminante do artilheiro da equipe Gyan. E, assim como no jogo anterior, a equipe que fez o gol se retraiu e o outro time veio pra cima. O gol de empate não saiu no primeiro tempo, mas sairia no segundo, quando Dempsey foi derrubado na área por Mensah. Donovan converteu e empatou a partida, que continuaria com pressão norte-americana até o apito final.

1x1 no tempo regulamentar + oitavas de final = prorrogação.

E lá se foram os jogadores para mais 30 minutos de bola rolando. Mas foi só a prorrogação começar que, mais uma vez, Gyan marcava um gol para a equipe ganesa. O artilheiro agora se junta à SELEÇÃO de artilheiros desta copa. São 6 jogadores empatados com 3 gols cada (vale lembrar que o Klose foi expulso contra a Sérvia): Villa, Suarez, Higuan, Vittek, Gyan e Donovan.

Os EUA até tentaram atacar, mas paravam na marcação de Gana, que se tornou o terceiro país africano a chegar a uma quarta de final numa Copa do Mundo.

Definida assim, a primeira partida das quartas e, desta partida, sairá um dos semi-finalistas da Copa:

URUGUAI x GANA.

DUVIDO que alguma casa de apostas tenha imaginado isso.

Amanhã, dois JOGÕES de bola: Alemanha x Inglaterra e Argentina x México. Assisto ao primeiro jogo torcendo pela Alemanha, mas com o coração partido...

Detalhe a quem acompanha o blog: amanhã não terei como postar, por estar na casa dos meus pais. Mas segunda trarei os detalhes dos jogos de domingo (+ a corrida).

sexta-feira, 25 de junho de 2010

COPA 2010 - DEFINIÇÃO DO GRUPO G - DEFINIÇÃO DO GRUPO H

CLIQUE AQUI PARA O MOMENTO BOOMSTICK DO DIA:
o jogo que parou o País foi Brasil x Portugal, mas este jogo teve poucas
atrações. Então o momento mais interessante do dia foi cortesia do goleiro
Bravo (nome, não adjetivo) que foi interceptar a bola quase no meio de campo
e proporcionou um belíssimo gol do David Villa. No vídeo, o resumo da partida.


Sexta, dia de jogo do Brasil. Em outras palavras, dia de assistir ao jogo em casa e ir trabalhar mais tarde. Brasil x Portugal não era um jogo decisivo, valendo só para definir quem terminaria em primeiro e quem terminaria em segundo no grupo.

O empate favorecia a equipe brasileira e também classificava Portugal. Então tivemos um dos jogos mais mornos e monótonos da Copa. Não chegou a ser um Inglaterra x Argélia, mas foi quase. Portugal se segurou atrás e esperou o Brasil, que também não parecia estar muito interessado em atacar. Então o jogo terminou num sonolento 0x0 e nem merece mais comentários.
No outro jogo do grupo, para cumprir tabela, a seleção da Costa do Marfim enfiou 3 gols na Coreia do Norte, consolidando a equipe asiática como a pior da Copa, com um saldo de 11 gols negativos. A Costa do Marfim até que não fez tão feio, tendo empatado com Portugal em número de pontos, mas como a equipe lusitana tinha marcado SETE gols na equipe coreana, tirar um saldo desses era tão improvável que nem os próprios africanos devem ter considerado como hipótese.

Aí, à tarde, tivemos um jogão entre Chile e Espanha.
O outro jogo – Suíça x Honduras – ocorria simultaneamente e podia em tese complicar as coisas para a Furia, porque os suíços e espanhóis estavam empatados em pontos e a Espanha tinha 1 único gol de vantagem pra equipe helvética no quesito saldo. Jogando contra um adversário teoricamente mais fácil que o Chile – Honduras – a Suíça podia ter dado o pulo do gato e conseguido uma das vagas, se tivesse conseguido botar a bola pra dentro do gol hondurenho. Só que não foi o caso. Os suíços atacaram o jogo todo, mas pela pura incapacidade de seus atacantes, a bola ia por cima, pelo lado, pra trás, pra todo lugar que não fosse o gol adversário. E o resultado de 0x0 foi mais do que justo para as duas equipes – especialmente pelo fato de que o placar as eliminou da competição.

E isso tornou o jogo entre Espanha x Chile numa disputa para ver quem pegaria Brasil e quem pegaria Portugal na próxima fase. A Espanha atacava o Chile, mas o Chile não se intimidava. Até que o espanhol Fernando Torres veio em velocidade pela esquerda e, de repente, lá estava o goleiro chileno Bravo na metade do campo chileno dando um carrinho e tirando a bola do espanhol. A bola sobrou para Villa que emendou de primeira fazendo um golaço de longe. Toque de classe e categoria, mas acho que o próprio goleiro Bravo deve estar se perguntando até agora que catso ele estava fazendo lá no meio de campo.

Os espanhóis ainda aumentaram com um gol de Iniesta, num lance que acabou resultando na expulsão do jogador chileno Marco Estrada, complicando ainda mais as pretensões chilenas de terminar a rodada na liderança do Grupo H. Mas, logo em seguida, viria o gol chileno, mais um golaço na partida. MIllar chutou a bola, que rebateu na perna de Pique e encobriu Casillas. 2x1.

Mas, por mais que o Chile tentasse, a Espanha controlava o jogo e demonstrava ter mais categoria e toque de bola. E a primeira rodada se encerrou com os espanhóis em 1º e os chilenos, mesmo tendo perdido o jogo, em 2º (cortesia da incrível falta de vontade de marcar gols da equipe suíça).

E, assim, temos os dois jogos que ainda faltavam se definir para as oitavas de final da Copa do Mundo de 2010:

BRASIL x CHILEESPANHA x PORTUGAL

Olhem como ficaram os cruzamentos (tá ficando baba pro Brasil):

quinta-feira, 24 de junho de 2010

COPA 2010 - DEFINIÇÃO DO GRUPO E - DEFINIÇÃO DO GRUPO F

CLIQUE AQUI PARA O MOMENTO BOOMSTICK DO DIA:
não poderia ser outro - a eliminação italiana da Copa do Mundo.
Meros 3 joguinhos após ter levantado o caneco em 2006, a Itália
surpreende e causa uma alegria incomensurável a este que vos escrece.


Hoje tivemos mais dois grupos definidos. Um estava completamente aberto, o da Itália (hehehe) e ou outro esperando pela definição do segundo lugar, uma vez que a Holanda já havia assegurado sua vaga matematicamente na rodada anterior.

Começou pelo grupo da Itália (hehehe), que pegava a seleção da Eslováquia. Enquanto isso, Nova Zelândia (o tal saco de pancadas da competição) jogava com o Paraguai.

Vamos começar pelo jogo que eu não vi – Nova Zelândia x Paraguai. Pelo que li, o jogo foi de poucas oportunidades, com um resultado que fez jus à emoção da partida: 0x0. Foram poucas chances de gol e o placar acabou eliminando a Nova Zelândia (que jogou bem ao estilo All Blacks – toda de preto) de maneira quase festiva para o time da Oceania. Os kiwis não perderam um único jogo nesta copa – foram 3 empates – e calaram a boca de todos os “especialistas” que apontavam a seleção como a pior da Copa. Na verdade, o outro jogo do grupo mostraria que a Nova Zelândia não era a pior seleção nem do próprio grupo (hehehe).

O jogo entra a atual campeã mundial Itália (hehehe) e a Eslováquia dava a impressão que seria uma daquelas clássicas vitórias da Azzurra por 0,5x0 no finalzinho do jogo, classificando os italianos para a próxima fase. Mas, surpreendentemente, foram os eslovacos que abriram o marcador no primeiro tempo, depois de uma saída de bola desastrosa do italiano De Rossi, que foi interceptada por Vittek. Com um gol de desvantagem e precisando da vitória, os italianos se desesperaram e tentaram partir pra cima no segundo tempo, mas sem muita objetividade e dando espaço para contra-ataques da Eslováquia. Tanto, que, de repente, Vittek se viu na área e fez mais um belo gol por cima de Marchetti. Aí o jogo ficou espetacular, com a Itália atacando e os eslovacos se defendendo e esperando por alguma nova bobeada italiana. De tanto insistir, os italianos conseguiram marcar um gol com Di Natale, a 10 minutos do fim. Mas a já escassa esperança de que a Itália conseguiria virar o jogo foi por água abaixo quando Kopunek enterrou a bola na meta italiana pela terceira vez, recuperando a vantagem eslovaca de dois gols e sepultando as chances italianas. Os italianos chegariam a marcar mais uma vez, com Quagliarella, mas não foi o suficiente e a Eslováquia terminou a rodada em 2º lugar no grupo e rebaixando a Itália – poderosa campeã mundial – a última colocada no Grupo F, atrás daquele bom e velho “saco de pancadas”, a Nova Zelândia (hehehe). Em primeiro lugar, o Paraguai, que empatou duas e ganhou uma.

E os dois finalistas da Copa do Mundo da Alemanha foram eliminados na primeira fase da competição, num vexame sem precedentes na história das Copas. Para este que vos escreve, foi uma DILIÇA!

De tarde, tivemos a definição do Grupo E – o da Holanda – com a charmosa seleção laranja já classificada. Sobrava ver quem ficaria com a segunda vaga – Japão ou Dinamarca. A Holanda cumpria tabela ao jogar contra o time de Camarões, que também cumpria tabela, por estar já matematicamente eliminado da Copa. Assim, o resultado deste jogo só serviu para garantir o primeiro lugar da Holanda, que bateu Camarões por 2x1, num jogo até que divertido, com ambas equipes indo atrás da vitória.

Mas o jogo importante mesmo era Dinamarca x Japão, jogo em que o ganhador levaria uma vaga nas oitavas. E foi um jogo muito aberto e divertido. Confesso que esperava uma vitória dinamarquesa, mas o Japão foi pra cima e venceu a partida por 3x1, com 3 belos gols, enquanto a Dinamarca teve que se contentar com um golzinho de pênalti (e ainda foi mal cobrado). Tivemos bolas nas traves de ambas as equipes e o jogo foi tudo menos monótono. E com isso o Japão segue para as oitavas enquanto os herdeiros da Dinamáquina que assombrou o mundo em 1986 arrumam as malas e voltam para casa.

E os jogos das oitavas que se definiram hoje são:

HOLANDA x EXLOVÁQUIA
PARAGUAI x JAPÃO

E ARRIVEDERCI, ITALIA!

quarta-feira, 23 de junho de 2010

COPA 2010 - DEFINIÇÃO DO GRUPO C - DEFINIÇÃO DO GRUPO D

CLIQUE AQUI PARA O MOMENTO BOOMSTICK DO DIA:
pode não ter sido o momento mais empolgante do dia para a maioria
das pessoas, mas como eu sou torcedor da Alemanha, pra mim foi
(e o blog é MEU). Então aí vai o gol que levou a seleção alemã
a uma segunda fase de Copa do Mundo, pela 15ª vez consecutiva.



No segundo dia da fase decisiva da primeira fase, duas seleções potencialmente candidatas ao titulo entraram em campo para definir seu futuro na competição – Inglaterra e Alemanha.

Nos jogos do Grupo C, logo pela manhã, a Inglaterra pegava a Eslovênia com a obrigação de ganhar a partida. Enquanto isso, os EUA se pegavam com a Argélia. Tanto Inglaterra quanto os EUA estavam empatados com 2 pontos, resultado de 2 empates, mas os americanos tinham a vantagem de ter empatado em 2x2 com os eslovenos, conta o empate de 0x0 dos ingleses contra os argelinos. A Inglaterra, jogando completamente de vermelho pela primeira vez na história das copas, foi pra cima bem ao estilo inglês – chegava na área e não fazia nada. O jogo empolgou mais pelo que significava do que pelo futebol propriamente dito, porque foram poucas chances de perigo real ao longo da partida. Mas a bola acabou entrando e a Inglaterra conseguiu se segurar mal e porcamente até o fim do jogo, arrancando 3 pontos da Eslovênia.

No outro jogo, entre os EUA e a Argélia, tudo levava a crer que teríamos um 0x0, o que classificaria a Inglaterra e Eslovênia para a próxima fase. E aí veio o último minuto dos descontos e, num derradeiro ataque da seleção norte-americana, a bola rebateu no goleiro e sobrou para Donovan, que não perdoou e meteu para o fundo do gol. EUA 1x0, classificados para a próxima fase da competição e rebaixando a poderosa Inglaterra para segundo lugar no grupo. No último minuto da rodada, a Eslovênia viu sua vaga garantida ir pro beleléu. Deve ter ardido.

Aí, os jogadores de EUA e Inglaterra devem ter ido pro hotel assistir aos jogos do Grupo D para ver quem eles teriam que enfrentar nas oitavas. O Grupo D, de Alemanha, Austrália, Gana e Sérvia era mais um desses grupos indefinidos, em que qualquer coisa poderia acontecer – cortesia da Alemanha que decidiu PERDER pra Sérvia, bla bla bla. Os alemães enfrentavam Gana, enquanto os australianos lutavam com os sérvios, na improvável, mas possível, conquista de uma das vagas.

Para os alemães, bastava ganhar o jogo contra Gana, mas é claro que isso não seria tão simples quanto parecia. A Alemanha, jogando completamente de preto pela primeira vez na história das copas, atacava mais, mas os ganeses vinham com perigo, perdendo gols feitos. E, como é do conhecimento de qualquer um que acompanha a história da Copa do Mundo, perder gol contra a Alemanha é pedir para tomar um. E foi o que aconteceu. Chute de fora da área do ótimo Oezil e 1x0 para a Alemanha. Enquanto isso, no outro jogo, a Austrália fazia 2x0 na Sérvia, e ficava a um golzinho de passar para a segunda fase da competição. Infelizmente para os australianos, a Sérvia conseguiu descontar e, no saldo de gols, a seleção da Oceania perdeu a segunda vaga para a equipe ganesa.

E os africanos puderam comemorar uma seleção do continente indo pras oitavas, como uma espécie de compensação pela eliminação precoce dos anfitriões sul-africanos.

Definidos, então, mais dois confrontos nas oitavas:

EUA x GANA
ALEMANHA x INGLATERRA (JOGÃO!)

terça-feira, 22 de junho de 2010

COPA 2010 - DEFINIÇÃO DO GRUPO A - DEFINIÇÃO DO GRUPO B

CLIQUE AQUI PARA O MOMENTO BOOMSTICK DO DIA:
a Argentina, do MALUCÃO Maradona, ainda não sabe o que é perder
ou empatar nesta
Copa do Mundo e, até mesmo com uma exibição “moderada”
contra
a Grécia, podia ter saído de campo com muito mais que 2x0.
Vai ser complicado brecarem os hermanos na competição.


Última rodada da primeira fase significa dois jogos simultâneos por grupo, o que eleva o número de jogos por dia para 4, mas limita o espectador a ver apenas 2 ao vivo (a não ser que você tenha duas televisões ligadas em canais diferentes, o que é meio PSYCHO).

De manhã, tivemos a definição do Grupo A, que contava com África do Sul, México, Uruguai e França. México e Uruguai jogavam por um empate, que automaticamente eliminaria as outras duas seleções da Copa. Para manter as esperanças de avançar na competição, África do Sul e França teriam que golear e torcer por uma vitória convincente uruguaia ou mexicana. Pois é. O Uruguai até fez parte do combinado, vencendo o jogo contra um México que atacou tanto no segundo tempo que chega a ser paranormal o fato da bola não ter entrado. Enquanto isso, os Bafana-Bafana tentavam de todas as formas reverter o saldo negativo que tinham para sonhar com uma possível classificação. Começaram bem, metendo 2x0 nos franceses – desfalcados pela expulsão de Gourcuff – que ficavam cada vez mais desesperados com a perspectiva de repetir a campanha desastrosa de 2002, em que não marcaram um único gol. No segundo tempo, finalmente o gol francês saiu, o que foi uma ducha de água fria meio "desnecessária" nas pretensões africanas, porque a classificação francesa era praticamente impossível à essa altura. O jogo seguiu com ataques sul-africanos, mas a bola não entrou mais e os dois times se despediram de forma melancólica da Copa de 2010.

Pela primeira vez na história da Copa, um país-sede não passa da primeira fase. Pecado para a simpática África do Sul e mais um recorde para o extenso currículo do técnico Carlos Alberto Parreira. E Argentina e Uruguai avançam para a próxima fase. É a primeira vez que a famosa celeste passa para as oitavas desde 1990. Uhuu.

Depois vieram os jogos do Grupo B – Argentina, Nigéria, Coreia do Sul e Grécia. Os Argentinos, do MALUCÃO Maradona, estavam virtualmente classificados e pegavam a Grécia, empatada em pontos com a Coreia do Sul. Uma vitória da Argentina sobre a Grécia e da Nigéria sobre a Coreia levariam os 3 times a 3 pontos, e aí valeria a quantidade de gols marcados por cada equipe. Enfim, a Argentina não bobeou e atacou a Grécia o jogo todo, obrigando o sucessor do goleiro Nickopolidis – Tzvorvas – a realizar um punhado de defesas difíceis e importantes. Mas tão intenso foi o ataque da equipe argentina que a bola acabou entrando duas vezes, com os dois “Martins” da seleção: o Demichelis (do meu glorioso Bayern) e o especialista em perder pênaltis, Palermo. O prodígio Messi ainda deu uma porrada na trave e os 2x0 acabaram saindo barato para a Grécia que, com este jogo, deram adeus à Copa do Mundo.

O titular da outra vaga viria, então, do outro jogo – entre Nigéria e Coreia do Sul. Foi um jogo aberto, com duas equipes buscando a vitória o tempo todo e o resultado final foi um empate entre 2x2. A impressão que tive foi que, se alguém merecia os 3 pontos, este alguém teria sido a Nigéria, que atacou com mais perigo. Claro que eu precisaria assistir ao jogo inteiro para ver se isso condiz com a realidade, mas pelos highlights do site da Fifa, foi esta a impressão que deu. De qualquer forma, o empate de 2x2 deu a vaga à equipe asiática, que pela segunda vez passa para uma segunda fase na Copa do Mundo. Uhuu.

Temos, então, os dois primeiros jogos das oitavas de final. São eles:

URUGUAI x COREIA DO SUL
ARGENTINA x MÉXICO

Viva Zapata!

REDEFININDO O TERMO "CLASSIC GAMES"



Mais um videozinho pra vocês e depois juro que paro. É que não teve como não postar um cara fazendo a trilha do Mario Bros no violino ao vivo. Fala aí se não é verdade.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

THE ONION



O The Onion é um divertidíssimo e bem produzido site de notícias fake, com um humor corrosivo bem similar ao da fenomenal revista MAD (a americana, não a brasileira). A coleção de MADs que meu pai tinha em casa marcou minha adolescência e ajudou a moldar meu caráter e ética. Em outras palavras, a culpa é dele.

Foi por isso que fiquei feliz ao descobrir o site do The Onion há alguns anos. Ele se define como a mais fidedigna fonte de notícias da América e, pela essência das reportagens no site, estou inclinado a concordar com eles. Em 2008, eles lançaram um longa com notícias, filminhos e afins, bebendo na fonte do classicíssimo Kentucky Fried Movie (não conhece? Google it and download it).

O The Onion Movie não é nenhuma obra prima e até chega a cansar. Mas o filme contém alguns momentos clássicos, como o vídeo acima e a matéria sobre a obesidade nos EUA (tem no Youtube).

Dito isso, o site é MUITO melhor que o filme e vale a pena conferir. Acessem com frequência.

10 EM 1



Pra quem estava achando que este blog tinha virado puramente um emaranhado de resenhas mal-escritas sobre a Copa do Mundo, aqui vai um videozinho musical, dica do Alexandre, o Ético.

Num daqueles mash-ups de diversas músicas em uma só, o guitarrista israelense Raz Ben Ari ensina as sutis (e não tão sutis) diferenças entre 10 estilos de metal.

Numa só música de 3 minutos, ele mescla glam rock, heavy metal, power metal, folk metal, black metal, death metal, thrash metal, melodic death metal, progressive metal e metalcore.

Se você é do tipo que acha que metal é tudo a mesma coisa, esta é sua chance de perceber as nuances entre um gênero e outro e não passar vergonha da próxima vez que estiver numa festa e perguntarem se você consegue identificar o estilo de determinada música baseando-se nas variações rítmicas e melódicas do tema (se bem que, vamos combinar, esse tipo de situação quase nunca acontece).

COPA 2010 - ARGENTINA x COREIA DO SUL - PORTUGAL x COREIA DO NORTE - CHILE x SUÍÇA - ESPANHA x HONDURAS

CLIQUE AQUI PARA VER O MOMENTO BOOMSTICK DO DIA:
não é todo dia que a gente assiste a uma goleada de 7x0. Portugal mostrou
eficiência e fez até um gol esquisito com o Cristiano Ronaldo que ficou
no limite entre o ridículo e o genial. De qualquer maneira, deve dar
trabalho à Seleção brasileira na sexta-feira. Vai ser um jogão.



O último dia da segunda rodada da primeira fase (que complicado isso) teve o jogo entre Portugal e Coreia do Norte, fechando o grupo do Brasil, mais os dois jogos do Grupo G.

Depois do empate sem graça contra a Costa do Marfim, a tão reverenciada seleção portuguesa precisava convencer contra o burocrático time da Coreia do Norte. No começo do jogo, já deu para notar que os coreanos estavam jogando de forma mais solta do que contra o Brasil, atacando mais e até levando perigo para a meta portuguesa. Mas, é claro, quem ataca descuida da defesa e o time lusitano foi pra cima. Fez 1x0, 2x0, 3x0 e continuou nesta toada até o fim do jogo, num surpreendente 7x0. Foi um massacre que quase lembrou aquele jogo entre a Alemanha e a Arábia Saudita em 2002 - 8x0. O jogo ainda teve um gol inusitado do INSUPORTÁVEL Cristiano Ronaldo, equilibrando a bola NA NUCA e emendando pro gol. Foi sem querer, claro, mas foi bonito de se ver.

Depois foi a vez de Chile e Suíça abrirem o Grupo G e definirem quem assumiria a liderança do grupo, ambos vindo de vitórias contra Honduras e Espanha, respectivamente. O jogo me lembrou um pouco o embate entre a Itália e Nova Zelândia, guardadas as devidas proporções. O Chile atacou, atacou, atacou, e a Suíça ficou fechada lá atrás, se defendendo. A situação ficou ainda pior para os suíços quando eles tiveram o Behrami expulso, por uma “braçada” na cara do chileno Vidal. Com a superioridade numérica e uma clara disposição de sair de campo com os 3 pontos, era só uma questão de tempo até que o Chile conseguisse furar o bloqueio suíço. E o gol veio aos 30 minutos do segundo tempo. A Suíça até ameaçou tentar dar o troco, mas não passou de ameaça, e o Chile ainda perdeu gols cara-a-cara com o goleiro, dando indícios de que o placar poderia ter sido muito maior.

E esta vantagem no placar que o Chile deixou de obter pode vir a fazer falta justamente pelo jogo que teve na sequência – Espanha x Honduras. Masmo longe de apresentar aquele futebol que encantou o mundo nas eliminatórias e que destruiu a Alemanha na final da Eurocopa de 2008, a Espanha mostrou ter muito mais time que a limitada seleção hondurenha e venceu sem dificuldades por 2x0. SÓ por 2x0, diga-se de passagem, porque cabiam uns 4 ou 5, mas o ataque espanhol desperdiçou um gol atrás do outro, alguns de maneira quase sobrenatural. De qualquer forma, 3 pontos pra Espanha, que pega o líder do grupo Chile na última rodada. Se der a lógica, a Suíça ganha de Honduras e sobe pra 6 pontos, o que significa que a Fúria não pode nem pensar em outro resultado que não seja a vitória contra os chilenos. Aí, teríamos os 3 embolados com 6 pontos e o que valeria para definir os classificados seria o saldo de gols. Vai ser no mínimo interessante ver o que acontece.

domingo, 20 de junho de 2010

COPA 2010 - PARAGUAI x ESLOVÁQUIA - NOVA ZELÂNDIA x ITÁLIA - BRASIL x COSTA DO MARFIM

CLIQUE AQUI PARA O MOMENTO BOOMSTICK DO DIA:
o jogo do dia foi, evidentemente, Brasil x Costa do Marfim,
mas os lances da partida devem estar sendo transmitidos até mesmo
no Discovery Kids. então aqui estão os principais momentos do divertido
Nova Zelândia x Itália, jogo em que a Itália tentou, tentou, tentou
e terminou empatada em 1x1 com a brava seleção da Oceania.


Domingo, dia de jogo do Brasil. Mas antes tivemos dois outros jogos pelo Grupo F – Paraguai x Eslováquia e Nova Zelândia x Itália.

O primeiro jogo, entre Paraguai e Eslováquia, mostrou uma seleção muito mais entrosada – Paraguai – jogando com uma equipe que ainda não entendo como conseguiu se classificar para a Copa do Mundo. A Eslováquia é muito fraca taticamente e não possui jogadores que desiquilibrem. Como resultado, a vitória de 2x0 do Paraguai não chegou a ser surpresa. Para não dizer que o goleiro paraguais Villar não fez nada, teve um chute perigoso no final do jogo, quando a fatura já estava liquidada e a Eslováquia não tinha mais tempo de reverter a situação. E, mesmo nesta tentativa, o goleiro fez uma bela defesa, mantendo o Paraguai com saldo de 2 gols – o que poderia vir a calhar dependendo do resultado entre Nova Zelândia e Itália.

Mas é claro que o jogo entre o tetracampeão e o tal “saco de pancadas da Copa” – como 10 entre 10 comentaristas esportivos definiam a Nova Zelândia antes da Copa – seria uma boa SURRA D’AZZURA (gostaram do termo? Eu que inventei).

Mas quem abriu o marcador foi justamente o saco de pancadas, com um gol irregular, o que tornou a comemoração ainda mais gostosa! O jogador Smeltz recebeu a bola completamente impedido e não teve dúvidas – meteu pro fundo das redes do goleiro Marchetti (Buffon está contundido). Com a Nova Zelândia na frente, a Itália foi pra cima e quase fez o seu com um chute venenoso do Montolivo que pegou em cheio na trave.

Depois, num lance de agarra-agarra que alguns árbitros classificariam como pênalti e outros tantos não, o juiz Carlos Batres apontou a marca penal e Iaquinta converteu o chute, levando a Itália ao empate. Depois, no segundo tempo, pressão total da Itália, que buscava o gol de todas as formas,mas nenhuma delas surtindo efeito. O bom goleito Paston fez belas defesas e a Itália praticamente morou o segundo tempo inteiro no campo da Nova Zelândia. Nos raros momentos em que a equipe da Oceania atacava, era de maneira meio “rifada” e sem objetividade, mas teve um lance na parte final da partida em que o atacante Wood conseguiu se livrar do marcador italiano para dar um chute a gol que por pura maldade não entrou. Foi um pecado porque teria sido o MOMENTO BOOMSTICK DO DIA.

Enfim, Grupo F encerra sua segunda rodada com o Paraguai em primeiro, com 4 pontos, Itália e Nova Zelândia meticulosamente empatados em segundo, com 2 pontos cada um, e uma Eslováquia um ponto atrás, agora tendo que torcer por um milagre para avançar até as oitavas. Poderia estar pior pra eles, como é o caso de Camarões, que já estão fazendo as malas. Mas com a Itália no grupo, a impressão é que a Azzurra pode perder os 3 jogos que mesmo assim vai encontrar alguma maneira de entrar pra próxima fase. Ô timinho.

Depois disso, o esperado duelo entre a Costa do Marfim, de Drogba, contra o Brasil de Kaká, Luiz Fabiano, Elano, Maicon, Julio César, etc, etc.

Finalmente, o Brasil jogou de forma mais objetiva, justificando a fama de eterno favorito ao título. Logo no primeiro minuto de jogo, o primeiro chute a gol, de Robinho. A bola foi por cima, mas demonstrava claramente que a Seleção brasileira iria dar trabalho para o tão falado time africano. E foi o que aconteceu. A Costa do Marfim não se encontrava em campo e só o Brasil atacava. Até que o inevitável aconteceu e Luiz Fabiano fuzilou a meta africana marcando Brasil 1x0.

Segundo tempo e, logo no comecinho, Luiz Fabiano marcou o segundo gol, no que só não pode ser caracterizado como um GOLAÇO porque o brasileiro amparou a bola com o braço duas vezes durante a jogada. Mas isso não chega a tirar o mérito dele ter chapelado dois jogadores da Costa do Marfim antes de chutar sem chances de defesa para o goleiro. Brasil 2x0. Aí foi a vez de Kaká. Alguns instantes após ter tido uma tentativa dele defendida pelo goleiro Barry, ele fez um passe preciso para Elano fazer 3x0. Fatura liquidada e, para não perder o hábito, o Brasil relaxou e permitiu o gol de Drogba, fechando o placar em 3x1.

Só para estragar um pouco mais a festa brasileira, Kaká levou o segundo amarelo no finalzinho do jogo, foi expulso de campo e desfalcará o Brasil contra Portugal. Mas também, de pouco importa isso, porque com estes 3 pontos, o Brasil está matematicamente classificado para as oitavas de final.

NEM TUDO AZUL NO CHELSEA


Eventos grandiosos como a Copa do Mundo sempre acabam dando algumas lições que valem pela vida toda. A desta Copa é que não é um bom negócio jogar no Chelsea.

Um número surpreendente dos jogadores do time que foram selecionados para participar de suas respectivas seleções só se deram mal.

Tudo começou com o capitão da seleção alemã Michael Ballack, que se machucou após uma entrada criminosa do jogador ganês Kevin Prince-Boateng, na final da FA Cup, entre Chelsea e Portsmouth. Ballack fora da Copa do Mundo.

Depois foi a vez do ganês Michael Essien, titular da equipe inglesa e da seleção de Gana, que se lesionou numa partida internacional contra a Líbia e acabou cortado da lista de convocados para a Copa.

Aí foi a vez do jogador Jon Obi Mikel ter que se submeter a uma cirurgia no joelho em maio, sem tempo hábil para se recuperar a tempo de integrar a seleção nigeriana.

Depois, um alarme falso. Num amistoso contra o Japão, o importante jogador da Costa do Marfim Didier Drogba se chocou com o brasileiro naturalizado japonês Marcos Túlio Tanaka e fraturou o cotovelo. Felizmente, o Drogba conseguiu se recuperar a tempo e hoje faz parte dos convocados da seleção que integra o grupo do Brasil.

Aí a última baixa do Chelsea para esta Copa do Mundo é do francês Nicolas Anelka, este por um motivo muito mais “inusitado”. No intervalo do jogo contra o México, o francês soltou o verbo contra o treinador da equipe Raymond Domenech e, ao se recusar a pedir desculpas, foi cortado do grupo pela Federação Francesa de Futebol.

Ainda tem muita Copa do Mundo pela frente, então vamos ver O QUE AINDA VAI ACONTECER com os pobres jogadores do Chelsea que permanecem (por enquanto) na competição. São eles:

Ashley Cole (ENG)
Joe Cole (ENG)
Joe Terry (ENG)
Frank Lampard (ENG)
Florent Malouda (FRA)
Salomon Kalou (CIV)
Ricardo Carvalho (POR)
Deco (POR)
Paulo Ferreira (POR)
Branislav Ivanovic (SER)

Obrigado ao meu caro progenitor Dirk L. Brow pela dica deste post.

sábado, 19 de junho de 2010

COPA 2010 - HOLANDA x JAPÃO - AUSTRÁLIA x GANA - CAMARÕES x DINAMARCA

CLIQUE AQUI PARA O MOMENTO BOOMSTICK DO DIA:
o jogo entra Camarões e Dinamarca acabou sendo mortal para
o time africano, que deu adeus às suas chances de seguir na
competição. Mas foi um jogo cheio de chutes a gol e dois times
buscando a vitória com raça e determinação. Jogão.



Holanda x Japão logo pela manhã. Confesso que esperava que a Holanda fosse dar mais trabalho para a equipe nipônica. O primeiro tempo foi muito morno, com poucos chutes a gol e o Japão marcando como a Sérvia marcou a Alemanha – com pressão total e deixando pouquíssimo espaço para que a criatividade da seleção laranja brilhasse. Mas, de tanto rodear a meta do goleiro japonês, os holandeses acabaram marcando seu golzinho no segundo tempo, mas com um futebol pragmático e sem charme, que nem de longe lembrou o da seleção de 1974. Jogo chato.

Tudo bem que o Robben não jogou, mas não sei se apenas a presença dele seria suficiente para alterar o estilo de jogo burocrático holandês. Espero que isso tudo esteja sendo friamente calculado e que os holandeses tenham cartas na manga porque, apesar de torcer – como todo mundo – pela Holanda, não sei se é assim que virá a tão sonhada estrela em cima do distintivo. De qualquer forma,vamos ser práticos: 2 jogos, 2 vitórias, então tá valendo. Os 3 pontos devem ter deixado o Meu Amigo Zoca* feliz, e o time definitivamente tem talento individual para dar show na segunda fase da competição. Esperemos.

O outro jogo do grupo veio no fim da tarde, entre Dinamarca e Camarões. Com uma vitória de 2x1, os dinamarqueses mantiveram boas chances de avançar na competição, eliminaram Camarões da competição e ainda garantiram a presença holandesa nas oitavas de final. Mas o começo do jogo não dava indicações de que este seria o resultado final, porque a seleção camaronesa, jogando “em casa” e contando com o esmagador apoio da torcida ( e o ensurdecedor apoio das vuvuzelas), começou pressionando. Aos 10 minutos, graças a um erro à la Toninho Cerezo do jogador Christian Poulsen, a bola sobrou de presente para o bom jogador Eto’o, que elegantemente fez Camarões 1x0.

Depois do gol contra no jogo anterior, começar este jogo perdendo por causa de mais um erro da própria equipe parecia indicar que a Dinamarca estava morta, mas os nórdicos não se abalaram. Eles partiram pra cima da equipe africana, que contra-atacava com muito perigo. Ou seja, tínhamos todos os ingredientes de um jogão de bola, e foi o que tivemos. Os goleiros e as traves tiveram que trabalhar, os dois times jogaram de forma aberta e ofensiva e os dinamarqueses conseguiram os dois gols que precisavam para vencer o jogo. Com isso, Camarões se tornou a primeira seleção da Copa a oficialmente dar adeus às chances de ir mais longe na competição. Meio chato que tenha sido uma equipe africana, bem na primeira Copa sediada pelo seu continente, mas c’est la vie.

O outro jogo do dia – Austrália e Gana – fechou o Grupo D, aquele em que a Alemanha perdeu pra Sérvia ontem e bla bla bla. A pior coisa que poderia acontecer (para as pretensões alemãs, claro) seria uma vitória ganesa, o que significaria que o time africano subiria para 6 pontos, ficando a um empate de fechar a fase inicial na primeira posição do grupo. A melhor coisa seria uma vitória da Austrália, porque aí nivelaria todo mundo com 3 pontos e a Alemanha teria como usar o benefício do saldo de gols. Pois é. Não deu nem uma coisa nem outra, mas um empate em 1x1. Mas foi um empate inesperado, uma vez que o time de Gana era considerado pelos especialistas melhor que a Austrália, e o time vinha de uma vitória contra a Sérvia, aquele time que derrotou a Alemanha bla bla bla. Mas foi a surpreendente Austrália que abriu o placar logo no comecinho do jogo, aos 11 minutos, com a polêmica Jabulani escapando do goleiro Kingson depois de um chute de Besciano e sendo rebatida para dentro do gol por Holman.

Aí, começou a pressão ganesa e, num chute contra a meta australiana, a bola bateu no braço do jogador Kewell, que estava na linha do gol. Apesar do braço rente ao corpo do australiano, o juiz interpretou isso como pênalti e ainda puniu o jogador com cartão vermelho. Gana então tinha um pênalti a favor e a Austrália teria que se virar pelo resto do jogo com um jogador a menos. Convertido o chute penal, a impressão era que a seleção ganesa atropelaria os australianos, mas não foi bem isso que aconteceu. Com um ataque pouco objetivo e algumas tentativas parando nas mãos do experiente goleiro Schwarzer, Gana não conseguiu levar muito perigo à meta australiana e não parecia ter um jogador a mais. Aliás, o lance de maior perigo veio justamente do desfalcado time australiano, com Wilkshire perdendo um gol feito, na cara de Kingson.

O jogo terminou com um pontinho pra cada, com Gana perdendo uma oportunidade de ouro de colocar um pé na próxima vaga. Erro este que, de acordo com a torcida deste que vos escreve, será duramente punido no fechamento deste grupo semana que vem.

* Para preservar o indivíduo em questão de prováveis danos à sua reputação em virtude de suas quase sempre questionáveis atitudes éticas e morais, o nome de Mark Damian Ament será substituído neste blog pelo pseudônimo “MEU AMIGO ZOCA”.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

COPA 2010 - ALEMANHA x SÉRVIA - ESLOVÊNIA x EUA - INGLATERRA x ARGÉLIA

CLIQUE AQUI PARA O MOMENTO BOOMSTICK DO DIA:
Com seus uniformes bem ao estilo Ponte Preta x Charlie Brown,
os EUA e a Eslovênia proporcionaram o melhor jogo do dia,
cheio de ataques, gols e polêmica.


Hoje, após o primeiro jogo do dia, recebi a seguinte mensagem no msn: “hiuhiuhiuhiuhiu! Mal posso esperar pelo seu post de hoje!”

O comentário, de teor maldoso e desnecessário, se referia ao fato da Alemanha ter perdido o jogo contra a Sérvia, apesar do franco favoritismo. Mas, se evidentemente não comemorei o resultado, sinceramente não fiquei muito melancólico porque achei que o placar não refletiu a realidade do jogo e nem do potencial ofensivo da seleção alemã.

Claro que eu sabia que a partida não seria uma baba como foi com a Austrália, porque a Sérvia iria se fechar e marcar com pressão total. Mas é fato que a arbitragem também ajudou a consolidar o resultado. A expulsão do Klose foi injusta e desproporcional, assim como o festival de cartões amarelos que o juiz decidiu distribuir para os jogadores no primeiro tempo. Parecia até que ele estava apitando o tempo todo com o cartão em punho e o braço estendido. Um pecado porque, com a expulsão, as chances do polonês naturalizado alemão quebrar o recorde de gols marcados nos mundiais ficou praticamente impossível.

Com um homem a menos, a Alemanha se perdeu momentaneamente e a Sérvia abriu o marcador, com um gol meio “freak” numa bobeada na pequena área alemã.

Depois, a rigor, apesar de ter um jogador a menos, só deu Alemanha. O Podolski deve ter dado uns 4.769 chutes, mas nenhum acertou o gol. Até que o inusitado aconteceu. Pela segunda vez em dois jogos, um sérvio decidiu cortar com a mão uma bola inofensiva dentro de sua própria área. Foi quase um replay do que aconteceu no jogo contra Gana e, assim como naquela partida, o juiz marcou pênalti. Infelizmente, o artilheiro Podolski cobrou muito mal a penalidade e o goleiro Kolarov defendeu.

O técnico Löw ainda tentou deixar o time mais ofensivo no meio do segundo tempo, mas achei um erro ter tirado o excelente Oezil, homem que dava movimentação à equipe. Tanto foi um erro que a pressão alemã foi mínima nos estágios finais da partida, com o time sempre na área sérvia, mas sem oferecer muito perigo.

Com isso, Alemanha, Sérvia e Gana todas têm 3 pontos, dividindo a liderança do grupo, mas esperando pelo confronto entre Gana e Austrália amanhã – jogo este que pode definir um novo líder para o Grupo D.

O resultado não foi bom, claro, mas também me pareceu um daqueles dias em que TUDO dá errado. É a primeira vez desde 1986 que a Alemanha perde um jogo na primeira fase da Copa do Mundo. Vale lembrar que, naquele ano, a Alemanha chegou à final da competição e esses dias de azar supremo não costumam se repetir. Por isso, aposto em reação contra Gana.

Já o jogo entre Eslovênia e EUA foi incrivelmente divertido. Foi um jogaço de bola, mas novamente maculado por uma arbitragem ineficiente. O jogo teve uma infinidade de chutes a gol, defesas, ataques dos dois lados e os americanos foram buscar um empate depois de estarem perdendo por 2 gols.

Mas a verdade é que o time norte-americano merecia ter saído de campo com os 3 pontos, porque um gol legítimo do Maurice Edu foi anulado pelo árbitro por algum motivo que, para mim, permanece até agora um mistério.

O outro jogo do grupo C – Inglaterra x Argélia – foi exatamente o oposto: um porre. Raras vezes numa Copa do Mundo lembro de ter visto uma partida de tão baixo nível técnico. A Inglaterra se limitou a recuar a bola para o goleiro argelino, e isso quando CONSEGUIU recuar. Foi um jogo SOFRÍVEL de assistir, com praticamente zero lances de perigo de ambos os lados,

Infelizmente, cada equipe saiu de campo com 1 ponto para colocar na tabela porque, de verdade, neste jogo de perdedores, ninguém merecia levar um único pontinho que fosse.

Resumo da ópera, a Eslovênia, com seu uniforme Charlie Brown, lidera o grupo com 4 pontos. Inglaterra e EUA dividem a segunda posição com 2, mas os americanos levam vantagem no critério de gols marcados. Em outras palavras, se nada mudar, a Inglaterra vai pra casa mais cedo nesta Copa, fazendo um papelão impensável antes do começo a competição. Vamos ver.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

COPA 2010 - ARGENTINA x COREIA DO SUL - NIGÉRIA x GRÉCIA - FRANÇA x MÉXICO

CLIQUE AQUI PARA VER O MOMENTO BOOMSTICK DO DIA:
o jogo entre Nigéira e Grécia teve mais uma ótima apresentação do
goleiro Enyeama, apesar do erro que custou um gol grego no segundo
tempo. Veja no vídeo os melhores momentos da partida.


E a Copa do Mundo tem seu primeiro, ehm, oitavo-finalista? É assim que se fala?

A Argentina não tomou conhecimento da Coréia do Sul e abriu logo 2x0 no primeiro tempo. Logo no finzinho, porém, a Coréia reagiu e fez o gol dela, dando a impressão – pero no mucho – de que poderia empatar a partida. Aliás, à esta altura do jogo, os sul-coreanos tinham marcado mais vezes que os argentinos, já que um dos gols sul-americanos foi um gol contra do Chu Young Park. Enfim, sonhar não custa nada, mas uma hora a gente acorda, e a Argentina acabou marcando mais dois gols, com o primeiro “hat trick” da Copa – o Gonzalo Higuain balançou as redes 3 vezes, assumindo a artilharia da competição.

Com isso, mesmo com um jogo de antecedência, a Argentina do insuportável Maradona carimba seu passaporte para a próxima fase (a não ser que seja GOLEADA pela Grécia e a Nigéria seja GOLEADA pela Coreia do Sul), o que começa a desenhar um provável novo encontro entre Argentina e Alemanha nas quartas. Ick!

O jogo entre Nigéria e Grécia tinha tudo para ser um passeio nigeriano em cima do limitado time grego. Tanto que, aos 16 minutos, o Uche já marcava 1x0 para a Nigéria. Mas o jogo mudou completamente com a expulsão justa do jogador Kaita, por uma agressão infantil ao grego Torosidis. Com apenas 10 jogadores em campo a apenas 33 minutos do primeiro tempo, a Nigéria teve que recorrer ao excelente goleiro Enyeama para tentar segurar o resultado, mas nem ele foi capaz de fazer milagre e, aos 44 minutos, a Grécia empatou com Salpingidis. E ainda tínhamos o segundo tempo inteiro pela frente.

O que se viu no segundo tempo foi um duelo aberto e empolgante entre as duas seleções, com a Nigéria buscando o gol desesperadamente e a Grécia tentando se beneficiar da vantagem numérica. Ambos os goleiros trabalharam, e trabalharam bem, mas, aos 25 minutos, o excelente goleiro do nigeriano falhou e permitiu a virada grega. Levando-se em conta que, não fosse ele o placar teria sido muito mais expressivo, não dá pra culpar o Enyeama por isso. Tanto que ele foi eleito o melhor jogador em campo.

De qualquer maneira, vitória da Grécia - a primeira numa Copa do Mundo - sepultando as pretensões nigerianas na competição.

Por fim, tivemos o jogo que fechou a rodada para o Grupo A – França e México. A França segue firme e forte em sua tentativa de replicar a campanha de 2002, em que a equipe não marcou um único gol. Pensando que a África do Sul deve vir pra cima com tudo no último jogo do grupo, as chances disso acontecer são consideráveis. Na verdade, o jogo contra o México foi sem graça e o placar de 2x0 não traduziu a realidade da partida – que ficaria de bom tamanho se fosse um 0,5x0. Mas o fato é que a equipe mexicana atacou mais – a França deu praticamente um único chute a gol, com o Malouda – e mereceu sair de campo com os 3 pontos.

Cheguei a pensar, ao apito final, que isso havia eliminado a França da Copa, mas ainda existe esperança pros Bleus. Mas é difícil.

Primeiramente, os franceses teriam que ganhar, o que não parece ser o forte da equipe comandada pelo polêmico Raymond Domenech. E, preferencialmente, teriam que marcar muitos gols para reverter a incômoda situação de 2 gols negativos que eles têm de saldo. Não bastasse isso, o jogo entre México e Uruguai não poderia terminar empatado – resultado este que classificaria estas duas equipes para a próxima fase. Se mexicanos e uruguaios não decidirem fazer outro jogo de comadres, como foi aquele lamentável Alemanha x Áustria na Copa de 1982, mesmo uma vitória de um dos dois não classificaria a França automaticamente, porque o Uruguai tem 3 de saldo e o México tem 2.

Ou seja: a França tem que ganhar bem da África do Sul – que está jogando em casa e de olho na mesma vaga que ela – e torcer para que um dos outros adversários aplique uma vitória convincente para cima do outro, de preferência por 2 ou 3 gols. Francamente acho que só um milagre classifica os franceses (o que deve ser fartamente comemorado pelo Brasil, notório “freguês” francês na Copa do Mundo).

E amanhã, temos DEUTSCHLAND de novo. Vejamos o que acontece.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

COPA 2010 - CHILE x HONDURAS - ESPANHA x SUÍÇA - ÁFRICA DO SUL x URUGUAI

CLIQUE AQUI PARA VER O MOMENTO BOOMSTICK DO JOGO:
avance até 1:48 para ver o suíço Eren Derdiyok se livrando da marcação
e tocando para o gol. A bola bate caprichosamente na trave, mas foi quase
o golaço da Copa.


Finalmente, encerrou-se a primeira rodada da primeira fase, com Chile x Honduras e Espanha x Suíça.

O Chile não é mais aquele time que chegou a impor respeito nos anos 90 e Honduras tem tanta tradição no esporte que até colocou um “H” enorme no uniforme para evitar que as pessoas escrevessem o nome do país errado. Então as perspectivas não eram exatamente de um jogo eletrizante. E, de fato, os dois proporcionaram um jogo em que o time chileno atacou, atacou, atacou e atacou, mas sem o mínimo de objetividade. Tanto que o resultado final foi reflexo da falta que faz um Salas no time: um magro 1x0.

Honduras ficou se segurando lá atrás e o jogo fez jus ao baixo nível técnico que estamos vendo nesta Copa do Mundo. Fora o gol e o que foi provavelmente a melhor defesa da Copa até aqui, realizada pelo goleiro hondurenho, nada de muito emocionante aconteceu durante o jogo. De qualquer forma, o Chile faz 3 pontos que poderão ser importantes mais pra frente, especialmente pelo jogo que se seguiu.

E o que se seguiu foi um verdadeiro jogaço nesta Copa tão carente de bons jogos de futebol: Espanha e Suíça. Era a estreia da FÚRIA espanhola contra uma seleção que não tomava gol há 4 jogos (empatou em 0x0 com a Ucrânia nas oitavas durante a última copa e acabou perdendo nos pênaltis). Todos esperava um show da Espanha, mas o que acabou acontecendo foi justamente o contrário. A Espanha movimentou a bola, tentou atacar, mas a Suíça soube neutralizar o ataque espanhol com muita eficiência. Aí, numa bola longa chutada o campo da Espanha, a pelota sobrou para o Eren Derdiyok, que dividiu com o goleiro Casillas. A bola sobrou para o Gilson Fernandes (com seu nome tipicamente suíço) fazer um supreendente e improvável gol em cima da seleção campeã européia.

A Espanha continuou tocando bola com qualidade, mas sem fazer o gol. Na verdade, o lance mais bonito do jogo (e um dos mais bonitos da Copa) foi justamente uma jogada fenomenal do suíço Derdiyok, cortando dois marcadores e carimbando a trave esquerda de Casillas. PECADO esta bola não ter entrado.

Jogão. E 3 pontos para a Suíça, que agora iguala o recorde histórico da Itália de 1990 – 5 jogos sem tomar gol. Pensando que o próximo adversário dos suíços é o Chile, um time teoricamente mais fraco que a Espanha, quem sabe não teremos um novo recordista nesta Copa. Agora vejam que curioso: é da Suíça também uma outra marca, só que bem menos “comemorável” – a de jogos consecutivos concedendo ao menos um gol. Entre 1934 (sim, TRINTA E QUATRO) e 1994, nos 22 jogos que a Suíça fez na Copa do Mundo, em todos ela concedeu pelo menos um gol. isn't it ironic?

E, com isso, encerrou-se com chave de ouro a primeira rodada da Copa do Mundo de 2010.

Logo em seguida, começou-se a segunda, com o jogo entre a África do Sul e o Uruguai. Foi um jogo que teve mais presença uruguaia e uma seleção sul-africana que parecia não se encontrar em campo, talvez por um excesso de nervosismo. O jogo teve lances inusitados, como a expulsão do goleiro sul-africano Khune, por uma falta dentro da área em Suarez. Tivemos também a primeira vez desde o jogo da Alemanha em que um time marcou mais do que duas vezes – o Uruguai fez 3 gols – sendo que 2 destes foram com o Diego Forlan, que assume a artilharia da competição. Uhu!

O resultado leva o Uruguai aos 4 pontos em 2 jogos e deixa a África do Sul com um só, esperando para ver o que vai acontecer entre França e México amanhã – ambos também com um ponto cada. Fato é que as chances da seleção do Parreira avançar para as oitavas agora parecem bem distantes e devemos ter, pela primeira vez na história da Copa, um país-sede fora da competição logo na primeira fase.

É uma pena... mas quem sabe assim a gente silencia um pouco as vuvuzelas?

PELÉ VIVO



Não costumo postar vídeos só por postar, e muito menos quando acabo de fazer isso – o da fabricação da bola Jabulani. Mas vou quebrar a regra para postar este maravilhoso filme que a Vivo fez em homenagem ao Pelé.

Tem quase 8 minutos, mas vale cada segundo. Belíssimo trabalho da 02 Filmes, com direção do Fernando Meirelles.

É, literalmente, de arrepiar. Assistam aê.

FAZENDO A BOLA



Bacana este vídeo que mostra o processo de produção da polêmica bola Jabulani usada na Copa do Mundo.

Se ela está sendo bem aceita é discutível, mas que dá um TRABALHÃO pra fazer, ah dá.

terça-feira, 15 de junho de 2010

COPA 2010 - NOVA ZELÂNDIA x ESLOVÁQUIA - PORTUGAL x COSTA DO MARFIM - BRASIL x COREIA DO NORTE

MOMENTO BOOMSTICK DO DIA: hoje não é um vídeo,
mas uma foto do jogo entre Brasil e Coreia do Norte.
Olhem que bacana a faixa que a torcida brasileira deixou estendida
o jogo todo. É isso aí!
CALA A BOCA GALVÃO!


Nova Zelândia x Eslováquia. Finalmente a tão esperada estreia do tal “saco de pancadas da Copa”, de acordo com os especialistas.

Confesso que falaram tão mal da Nova Zelândia que cheguei a torcer para que ela surpreendesse, só pra calar a boca dos “especialistas”. E não é que deu mais ou menos certo? Não sei se pelo fato da Nova Zelândia ser melhor que o esperado, ou pelo fato da Eslováquia ser pior, o jogo foi mais ou menos equilibrado. Não que isso signifique que tenhamos tido um jogo bom, porque foi bem longe disso.

Aliás, Eslováquia, Eslovênia e Sérvia numa única Copa é sacanagem. Me sinto meio ignorante em dizer isso, mas o fim da União Soviética transformou o leste europeu num emaranhado de países cuja única função parece ser a de complicar as eliminatórias europeias. Saudades da Iugoslávia e da poderosa Tchecoslováquia. Agora temos Eslováquia, Eslovênia, Sérvia, República Tcheca, Bosnia, etc. e para o leigo (como é o caso deste que vos escreve) a impressão que se tem é de que é tudo mais ou menos a mesma coisa. O mundo já foi mais simples...

Enfim, quanto ao jogo, a Eslováquia não honrou suas tradições tchecas e fez um jogo morno contra um time supostamente muito inferior. Fez 1x0 e, no finzinho do jogo, tomou um surpreendente gol de empate dos kiwis, embolando em todos os aspectos o grupo F, de forma até anteontem impensável. Todas as seleções – Itália, Paraguai, Nova Zelândia e Eslováquia – agora estão empatados em todos os critérios e se o mundo acabasse hoje, teriam que fazer um sorteio para definir quem teria ido para a próxima fase da competição (claro que dificilmente teria este sorteio, dado o fim do mundo).

De qualquer forma quem deve estar comemorando bastante este resultado insosso é a Itália, que vai acabar se classificando aos 46 minutos do último jogo desta fase, provavelmente com um gol roubado.

Enfim, depois deste fenomenal aperitivo que foi o embate entre Nova Zelândia e Eslováquia, chegou a vez da aguardada estreia de outro time supostamente favorito – Portugal. Com este jogo, finalmente entendi o porquê de um dos símbolos do país ser um galo, porque o jogo foi digno daquelas peladas que transmitiam (transmitem ainda?) na Record de manhã cedo – o Desafio ao Galo. Que jogo horrível. Esperava mais da Costa do Marfim, que deu um trabalhão para a Holanda na última Copa e contava com todo o talento do Drogba. Mas, a rigor, nada aconteceu. O insuportável Cristiano Ronaldo chegou a chutar uma bola na trave, mas foi muito pouco para quem quer levantar uma Copa do Mundo de Futebol. Jogo esquecível.

E, finalmente, temos a estreia da Seleção Brasileira, única participante de todas as Copas do Mundo até agora. Com este jogo, o Brasil se iguala à Alemanha em número de partidas numa Copa do Mundo (pelo menos até sexta, quando a Alemanha joga de novo).

O jogo foi meio duro de assistir. Primeiro tempo muito xoxo, com o time da Coreia do Norte fechado lá atrás e com um toque de bola surpreendentemente bom. Com o segundo tempo, o Brasil começou a atacar mais um pouco, mas nada que empolgasse. Até por uma questão de persistência, uma hora a bola entrou, num belo gol do Maicon. Pouco tempo depois, o Brasil ainda ampliou para 2x0 e tudo parecia indicar que a porteira estava aberta e que o Brasil finalmente tinha achado o caminho do gol. Mas não só isso não era verdade como a Coreia do Norte conseguiu um surpreendente gol no finalzinho do jogo. Não chegou a chocar como a vitória norte-coreana sobre a Itália na Copa da Inglaterra de 1966, mas foi completamente inesperado e, de certa forma, premiou a forma taticamente disciplinada com que os jogadores encararam o jogo.

De qualquer forma, o Brasil demonstrou ter um time cheio de problemas, mas o Brasil é sempre poderoso e cresce nos momentos decisivos. Deve, pelo menos em teoria, seguir adiante na competição como líder do Grupo G. Mas, claro, O FUTEBOL É UMA CAIXINHA DE SURPRESAS (sempre quis escrever isso).

segunda-feira, 14 de junho de 2010

COPA 2010 - HOLANDA x DINAMARCA - JAPÃO x CAMARÕES - ITÁLIA x PARAGUAI

CLIQUE AQUI PARA O MOMENTO BOOMSTICK DO DIA:
Holanda e Dinamarca proporcionaram uma partida até que
equilibrada. Pelo menos até a bola tocar em três jogadores dinamarqueses
e cair dentro do próprio gol da equipe. No vídeo, o resumo do jogo.


Hoje foi um dia de bons jogos, o que apenas agravou minha frustração de não ter conseguido tirar férias durante a Copa toda, como habitual.

Começamos com Holanda x Dinamarca, num jogo até certo ponto equilibrado, com a Dinamarca atacando mais no primeiro tempo e levando perigo para o gol holandês. Os holandeses não contavam com Robben, ainda em recuperação, e a Dinamarca levava perigo, até que, de repente, a bola foi lançada na área dinamarquesa e foi batendo desajeitadamente em 3 jogadores dinamarqueses até parar dentro do gol. Foi o primeiro gol contra da história da Dinamarca nos mundiais. No segundo tempo, o jogo pendeu para a Holanda, que atacou mais. Reflexo disso foi o segundo gol da equipe laranja, num arremate de Elia que bateu na trave e sobrou para Kuyt, que não perdoou. Com esta vitória, a Holanda sustenta uma invencibilidade de 20 jogos, mas confesso que esperava um pouco mais desta seleção que já foi duas vezes vice-campeã mundial. Vamos ver se, com a volta do Robben, as coisas se azeitam.

Pro segundo jogo – Japão e Camarões – confesso que não dava muita bola. A TV ligada aqui na agência não mostrava sinais de que a partida estava sendo interessante, até que ouvi o grito de gol do narrador e vi o Japão abrindo o placar. No segundo tempo, o jogo foi mais movimentado e os últimos 15 minutos foram divertidíssimos. Ataques dos dois lados, bola na trave e boas defesas. Os camaroneses vieram pra cima e chegaram a merecer o empate. Mas, como é sabido, a vida – principalmente no futebol – não é necessariamente justa. E o Japão saiu com 3 pontos, empatado com a Holanda e deixando um problemão para Camarões e Dinamarca.

De tarde tivemos a estreia da Itália, atual campeã e uma das seleções que mais me irritam. Com um futebol chato e sem graça, a Itália raramente empolga, mas sempre chega. Seu adversário, o Paraguai, vinha de boa campanha nas eliminatórias, mas também contava com um futebol sem muito brilho. Dadas as características dos dois, o jogo prometia ser um duelo de defesas fortes com raras chances de gol. Mas elas até que aconteceram e o jogo foi mais divertido do que o previsto. Especialmente porque o Paraguai de repente abriu o marcador, fato este que foi fartamente comemorado por este que vos escreve. A Itália pressionou mais no segundo tempo e, num escanteio, veio o empate italiano, fato este que irritou profundamente este que vos escreve. Com mais time que o Paraguai, a Itália até esboçou uma virada, mas ela não veio e os dois times agora somam 1 pontinho cada, esperando pela provável vitória da Eslováquia contra a Nova Zelândia amanhã, fechando a primeira rodada do Grupo F.

Um ponto para qualquer outro time poderia ser motivo de desespero num campeonato em que cada jogo conta muito e qualquer erro pode ser fatal. Mas, em se tratando da Itália, isso não significa muita coisa, porque se tem algo que eles sabem fazer como ninguém é reverter situações desfavoráveis. Vamos ver como a saída do Buffon – sentindo dores – afeta o tradicional ferrolho intransponível da Azzurra.

domingo, 13 de junho de 2010

COPA 2010 - PROBLEMAS COM OS CLIPES

Depois de 3 dias de Copa, o que era pra ser algo divertido no blog acabou se tornando um abacaxi.

Pensei em postar o "MOMENTO DO DIA" para cada dia da Copa, com vídeos retirados do YouTube. Pelo que percebo agora, os vídeos foram bloqueados pela FIFA por infringirem direitos autorais.

Tudo bem. A ideia não era infringir nada, mas meramente celebrar com um pouco mais de estilo este que é o maior evento do esporte mundial, dando um pouco mais de molho pra cada post.

Então estou corrigindo os posts anteriores com links que levam a vídeos autorizados pela FIFA, para que ninguém perca a chance de ver os momentos diários escolhidos pelo FISTFUL OF BOOMSTICK.

Sorry o mau jeito.

COPA 2010 - ARGÉLIA x ESLOVÊNIA - SÉRVIA x GANA - ALEMANHA x AUSTRÁLIA

CLIQUE AQUI PARA VER O MOMENTO BOOMSTICK DO DIA:
o alemão Miroslav Klose
marca o segundo gol da Alemanha, igualando
a marca de 11 gols em
mundiais de seu compatriota Jurgen Klinsmann.Faltam apenas 4 para igualar a marca de Ronaldo, artilheiro máximo
das Copas do Mundo.



E vamos ao terceiro dia de Copa do Mundo. Hoje começando com o jogo entre Argélia e Eslovênia, jogando com um uniforme que fiquei com a impressão de ter visto em algum outro lugar...


O jogo foi meio “cumprimento de tabela”, mas apesar de uns chutes a gol de ambos os lados – incluindo uma boa defesa do goleiro Chaouchi e, posteriormente, um FRANGAÇO do mesmo Chaouchi bem nos moldes do pobre goleiro inglês Green – o placar acabou sendo justo para o time esloveno, que agora LIDERA o grupo C, grupo este que fechou sua primeira rodada com dois jogos meio monótonos, cada um tendo seu resultado determinado por um peru dos goleiros.

O segundo jogo, entre Sérvia e Gana, também não foi do tipo de jogo que empolga. Confesso que achei que os dois times, principalmente Gana, ficaram devendo. A Sérvia eu achei um pouco mais objetiva, tanto que deu mais chutes a gol e só perdeu porque o Lukovic fez o favor de ser expulso a 16 minutos do final, num lance bobo no meio de campo. Pra piorar as coisas pra equipe sérvia, o Kuzmanovic decidiu cortar a bola com a mão – de maneira gritante – dentro de sua própria área. O ganês Gyan converteu o pênalti e fez 1x0. E Gana só não ampliou porque o Gyan ainda chutou uma bola na trave no finalzinho do jogo. Com isso, a Sérvia complica suas chances. Deve ganhar da Austrália, imagino, mas dificilmente passará pela Alemanha. Se pelo menos os sérvios tivessem QUEBRADO o ganês Boateng – responsável pela não-presença do Ballack nesta copa, quem sabe os alemães não facilitariam? Enfim...

Aí, chegou a vez da Alemanha entrar em campo contra a Austrália. Nas últimas duas Copas do Mundo, o time alemão estreou com goleada – 8x0 contra a Arábia Saudita em 2002, 4x2 contra a Costa Rica em 2006. Dificilmente eu achei que a escrita se repetiria, porque sempre considerei a Austrália um time em franca ascensão. Tanto que eles só não foram pra semi-final da última Copa em virtude de um pênalti ROUBADO no jogo contra a Itália. Então quando o jogo começou e a Austrália pressionou quase conseguindo abrir o placar, minhas esperanças de uma boa campanha alemã nesta Copa cambalearam um pouco. Felizmente, só um pouco, porque a Alemanha dominou o jogo a partir de então, abrindo o placar com o Podolski aos 7 minutos de jogo.

Depois foi a vez do Klose, que agora se iguala com o Klinsmann como o segundo maior artilheiro alemão, atrás apenas do monstro sagrado Gerd Müller, que tem 14. Se marcar mais 4 gols, o Klose se iguala ao maior artilheiro da história da competição – Ronaldo. É muita coisa, mas tem muita Copa pela frente, especialmente se a Alemanha repetir a atuação segura e precisa com que jogou hoje.

No segundo tempo, o técnico Löw aproveitou para poupar jogadores e viu sua seleção marcar mais duas vezes, com Cacau e com a revelação Müller. Foi uma Alemanha jogando como há muito não se via e imagino que as casas de apostas já devem estar colocando o Mannschafft como seríssimo candidato a esta Copa do Mundo.

Mas, como já disse, tem MUITA Copa pela frente, e ainda estão por estrear Holanda, Brasil e Espanha. Vamos ver que surpresas amanhã trarão para a gente com a estreia da seleção holandesa.