quarta-feira, 12 de maio de 2010

BATENDO UM BOLÃO

Clima de Copa do Mundo no ar, já começam a falar sobre quem será o responsável por montar o tradicional bolão da firma.

Isso me lembrou de uma história do meu obscuro passado que talvez explique porque eu não seria a pessoa mais indicada para fazer isto.
O ano era 1998, se não me engano, e eu trabalhava numa agência pequena, porém simpática, na Av. Faria Lima.

Alemanha e Brasil fariam um amistoso em Stuttgart e eu, como torcedor da Alemanha que sou, em meio a uma esmagadora torcida de brasileiros, estava ansioso para assistir à partida.

Sugeriram fazer um bolão “às cegas” para dar um molho ao jogo e, como eu não conhecia o termo, me explicaram que as apostas seriam feitas no escuro – cada um escolheria um resultado sem saber qual era e, no final do jogo, quem tivesse acertado o placar da partida levaria a bolada. Achei interessante e na hora me coloquei à disposição para elaborar a tabela de apostas.

Coloquei todos os resultados entre 0x0 até 3x3 numa coluna central, que seria posteriormente coberta por uma tira preta, impedindo que as pessoas soubessem em quais resultados tinham apostado. Vocês podem conferir como ficou na imagem acima.

Antes de imprimir, decidi que seria melhor embaralhar os resultados para tornar impossível alguém “deduzir” em que lugar da folha estariam os placares mais prováveis. Só que – e aí que a coisa fica feia – eu também queria brincar, então decidi fazer isso COM O MONITOR DO MEU COMPUTADOR DESLIGADO.

Eu ficava dando copy-paste no escuro, a esmo, embaralhando os resultados de maneira que nem eu mesmo saberia onde cada placar estaria. Eu sei o que vocês estão pensando, mas na hora me pareceu uma boa ideia.

Imprimi, colei a tarja preta por cima dos resultados com cuidado e de olhos semi-cerrados, tentando não ver os resultados - o que estragaria a brincadeira. Depois, foi só sair arrecadando o dinheiro das apostas e assistir ao jogo.

As pessoas ficaram na agência até as 20h00, assistindo a um derrota da Alemanha por 2x1 e se divertindo às minhas custas. Chegada a hora de revelar o ganhador, veio a surpresa.

Quando tirei a tarja preta para revelar o ganhador, o resultado foi:

A árdua lição que tirei desta experiência de tentar editar um arquivo com o monitor desligado é que isso nem sempre funciona, pelo simples motivo de que VOCÊ NÃO TEM A MAIS PUSTA IDEIA DO QUE ESTÁ FAZENDO.

P.S. Devolvi o dinheiro, porque ninguém acertou o resultado.

2 comentários:

alebf disse...

essa é digna de " coisas que só o charles poderia ter feito"
GENIO! GENIO!!!

Mark disse...

Nossa. Que sono.